Balanço da Gestão

Sinal verde para a otimização do trânsito em Goiânia

De 2017 a 2020 foram 1.371 projetos elaborados, 2.972 análises de impacto no trânsito, 12.095 solicitações atendidas e instalação ou manutenção de equipamentos de semáforos.

Publicado em: 25 de dezembro de 2020 às 15:00 | última atualização: 18 de dezembro de 2020 às 15:20

Tamanho da fonte:
-A A A+

Goiânia viveu, nos últimos quatro anos, um momento atípico na sua história e com a expectativa de grandes melhorias em todas as regiões e em todos os setores da administração. A quantidade de obras que a cidade recebe, mexe com a rotina dos goianienses e, claro, com a rotina de serviços e atendimentos das Secretarias envolvidas nesse processo de modernização na infraestrutura e no trânsito da cidade.

Todas as áreas administrativas do poder público municipal são igualmente importantes e sua gestão tem reflexo na vida do cidadão. A demanda por saúde, educação e cultura é colossal em qualquer grande município, mas o trânsito afeta todos os cidadãos de forma direta, todos os dias.

De 2017 a 2020, a Secretaria Municipal de Trânsito, Transportes e Mobilidade (SMT) foi comandada por diferentes gestores: Felisberto Tavares, de janeiro de 2017 a maio de 2017; Luiz Fernando Santana, de maio de 2017 a agosto de 2020; e, por fim, Horácio Mello e Cunha Santos. 

Mesmo com as transições e os desafios impostos pela pandemia da COVID-19, a SMT esteve ativa em todas as interdições para as obras na cidade, com sinalização horizontal, vertical e semafórica, e com a presença de agentes para orientar e auxiliar no fluxo de trânsito, além, claro, de manter a sua rotina de prestação de serviços.

A fiscalização e a sinalização de trânsito compõem o cerne das atividades da SMT, mas seu âmbito de atuação vai muito além. A Diretoria de Engenharia de Trânsito e Mobilidade é a unidade integrante da estrutura da SMT, que tem por finalidade planejar, dirigir e controlar a execução de planos, programas e projetos de engenharia de tráfego e de sinalização de trânsito da malha viária municipal. De 2017 a 2020 foram 1.371 projetos elaborados, 2.972 análises de impacto no trânsito, 12.095 solicitações atendidas e instalação ou manutenção de equipamentos de semáforos.

“As atividades de sinalização e fiscalização estão presentes e são visíveis à população e são essenciais para a vida urbana. As atividades da engenharia também são essenciais, mas não estão tão claras aos olhos da população. Todas as intervenções no trânsito são feitas de forma planejada levam em consideração todos os “atores” que formam essa malha – os motoristas, motociclistas, ciclistas e pedestres. Nossa meta é árdua pois precisamos trabalhar para a segurança de todos e, ao mesmo tempo, estudar as melhores formas de não deixar o trânsito parar. E não estamos mais numa pequena cidade. Goiânia é uma metrópole, com trânsito de metrópole”, comenta Horácio Mello, Secretário Municipal de Trânsito.

Veruska Narikawa, da editoria de Trânsito, Transportes e Mobilidade