Servidor da Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg) há 28 anos, Walcy Nascimento de Freitas, de 57 anos, se dedica à limpeza urbana da capital e à atividade de DJ. Ele tem três mil vinis e 500 fitas cassetes que se misturam entre o rock, pop, soul, funk e a música popular brasileiras dos anos 1960, 1970, 1980 e 1990. O acervo inclui, ainda, 150 aparelhos de som antigos, que utiliza na discotecagem.

Alguns discos são considerados raridades, e outros estão autografados. Na lista dos preferidos está a música And now fank, trilha sonora da novela Água Viva de 1980, a banda pop anglo-australiana Bee Gees e o grupo musical americano Kool & the Gang.

Em meio aos diversos gêneros musicais, tem coleções completas com “temas de novela”, 20 LPs do Roberto Carlos, oito do Amado Batista, Tim Maia, Legião Urbana, Furacão 2000 e 11 volumes da banda Cash Box.  

Walcy Nascimento conta que sua paixão pela música e pelo vinil começou ainda na adolescência, quando frequentava as discotecas de Goiânia no início dos anos 1980. Logo comprou o primeiro vinil e, desde então, nunca mais parou de pesquisar, comprar e usufruir dos discos. 

A dedicação e o interesse pelo meio e por tudo que envolvia a apresentação fizeram com que nos anos 1990 Walcy montasse sua discoteca com o próprio equipamento de som, iluminação e outros adereços da discotecagem, no Centro de Goiânia. A partir daí, a carreira como DJ ganhou força, e abriu oportunidades para trabalhar em rádios e fazer eventos. “Foram muitos anos levando boa música e fazendo a festa nos casamentos, formaturas, matinês e confraternizações”, conta.

Logo, o músico entrou para o quadro de funcionários da Comurg e a profissão de DJ passou a ser algo paralelo. Hoje, com 28 anos de dedicação ao trabalho nas vias públicas da cidade, Walcy participa de alguns eventos por prazer em comandar as pick-ups de som.  “Música é minha paixão, minha calmaria”, afirma, ao dizer que em suas festas só utiliza discos de vinil e fitas cassetes.

A próxima festa está agendada para 17 de setembro, e o roteiro musical já está pronto. Ele abrirá as pistas ao som de ABBA, Creedence e outras bandas e artistas dos anos 1970. Em seguida, leva o funk dos anos 1980, o music house dos anos 1990, lambada dos anos 2000  de vinil e 500 fitas cassete, conciliando o trabalho na limpeza urbana com a paixão pela música.

“Mudanças tecnológicas da indústria musical não empolgam”, afirma o DJ, que completa: “Sou feliz por poder conciliar dois trabalhos que amo, o de DJ e de servidor da Comurg”.

Foto: Comurg

Companhia de Urbanização de Goiânia – Prefeitura de Goiânia