Ouça a notícia aqui

O semestre letivo na Rede Municipal de Ensino de Goiânia começou com aulas on-line e a preparação para o retorno das atividades presenciais, previsto para ocorrer no dia 16 de agosto em um modelo híbrido. Nesta primeira semana, as famílias vão receber os Cadernos de Atividades elaborados pela Secretaria Municipal de Educação (SME) para auxiliar na aprendizagem dos alunos e serão orientadas sobre a retomada das aulas. 

Nesta segunda-feira (2/8), em visita institucional à Escola Municipal Nossa Senhora da Terra, no Jardim Curitiba, o titular da SME, professor Wellington Bessa, destacou as medidas adotadas pela Prefeitura de Goiânia para o retorno seguro das aulas e afirmou que nos próximos 15 dias o município vai reforçar ainda mais os protocolos de biossegurança, sanitizar todas as instituições, entregar novos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e acompanhar as experiências de outras cidades que decidiram retomar as  atividades presenciais. 

“Este momento inicial é de adaptação. Nos últimos meses implantamos os protocolos de biossegurança, dialogamos com representantes dos servidores e definimos que o retorno híbrido seguirá rígidos protocolos. A determinação do prefeito Rogério Cruz é garantir a segurança dos profissionais da Educação, ampliar o diálogo e recuperar as aprendizagens”, afirmou Bessa. 

Em Goiânia, as atividades devem retomar no dia 16 de agosto em um modelo de revezamento que prevê a ocupação de 50% das salas de aula. Os Centros Municipais de Educação Infantil (Cmeis), que antes funcionavam em período integral, vão atender em modelo híbrido e dividir as crianças entre os turnos matutino e vespertino. Já os estudantes do 1º ao 5º ano farão revezamento diário e os alunos do 6º ao 9º ano farão revezamento semanal.

Responsáveis serão comunicados sobre o retorno

Além de atender os educandos pelas plataformas digitais, entregar os Cadernos de Atividades, nas próximas duas semanas os gestores das unidades e os servidores da SME vão informar os pais e responsáveis sobre a retomada das atividades presenciais em regime de revezamento e apresentar os protocolos de biossegurança implantados nas escolas e Cmeis da capital. 

Superintende Pedagógico da SME, Marcelo Ferreira explica que as equipes diretivas das unidades estão preparadas para dialogar com os responsáveis sobre o retorno. “Personalizamos o plano de atendimento das instituições e vamos dialogar com toda a comunidade escolar. O caminho é apresentar os protocolos de segurança e a proposta pedagógica híbrida para que os pais possam entender toda a complexidade do Plano de Retomada”, explica. 

Nestes primeiros 15 dias do semestre letivo, as unidades também irão organizar os horários em que os estudantes frequentarão as instituições educacionais e as famílias terão a opção de escolher pelo ensino híbrido ou 100% remoto mediante a assinatura de um termo. Os conteúdos repassados aos alunos serão os mesmos nas duas modalidades de ensino.

Segurança em primeiro lugar

Para garantir um retorno seguro das atividades, a Prefeitura de Goiânia disponibilizou kits de higienização para todas as unidades, orientou sobre as marcações de distanciamento seguro entre os educandos e destinou, de forma
descentralizada, R$ 1.995.062,45 para a aquisição de itens de proteção. Dentre os equipamentos adquiridos pelos gestores das instituições estão calçados, óculos de proteção, luvas térmicas e descartáveis, máscaras descartáveis (PFF-1), aventais de PVC, toucas, tapetes sanitizantes, termômetros digitais e viseiras. 

Além disso, o município já anunciou que vai adotar a testagem ampliada de antígeno para Covid-19 para todos os servidores que atuam nas unidades de ensino. Até agora, a SME e a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) já programaram as primeiras testagens para os dias 17, 19, 24, 26 e 31 de agosto. 

Os exames serão realizados semanalmente nas Coordenadorias Regionais de Educação, unidades situadas nos seguintes bairros: Cidade Jardim, Setor Leste Universitário, Setor Sudoeste, Urias Magalhães e Nova Suíça. A medida vai ao encontro dos critérios preconizados pelos especialistas e órgãos internacionais para a retomada segura das aulas.

Thiago Araújo, da editoria de Educação

covid-19

educação

prefeitura de goiânia