O prefeito Rogério Cruz apontou a energia verde como o caminho para uma cidade sustentável, durante a apresentação de dois veículos elétricos que serão cedidos para testes pelo período de 30 dias pela Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), órgão do Governo Federal ligado ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC). O evento foi realizado na tarde desta terça-feira (24/01), no Paço Municipal.

“Os dados apontam que, em três anos de projeto, os 16 veículos elétricos que estão em Brasília evitaram que fossem lançados na atmosfera 12 toneladas de CO2, um dos principais responsáveis pelo efeito estufa. Então, se nós queremos uma Goiânia sustentável, a energia verde é o caminho”, afirma Rogério Cruz.

O prefeito também lembrou aos secretários da importância do relacionamento com o Governo Federal para atrair novos projetos para a capital. “Todas as vezes que estou em uma reunião com algum ministro, eu digo: ‘olha, se você tem algum projeto e quer ter Goiânia como modelo, estamos de portas abertas’. E eu repito aqui: Goiânia está de portas abertas para firmar parcerias em benefício da população”, diz.

Na primeira etapa, a agência emprestará dois veículos por 30 dias para que os servidores possam conhecer a estrutura e a mecânica. Neste período, também serão instalados carregadores no Paço Municipal. A previsão é de que novos carros serão cedidos, e a parceria estendida por pelo menos um ano. O projeto atualmente está em funcionamento nos governos do Distrito Federal e Paraná.

O presidente ABDI, Igor Calvet, explica que a promoção de um mercado de carros elétricos em Goiânia traz impacto positivo para o meio ambiente e a saúde pública e promove economia para os cofres do município. “Outro aspecto importante é a questão do compartilhamento veicular. Estudos mostram que para cada carro compartilhado, oito a dez veículos deixam de circular. Então, nós estamos falando de responsabilidade fiscal, estamos falando de saúde, estamos falando de sustentabilidade ambiental”, afirma.

O gerente de Novos Negócios da ABDI, Tiago Faierstein, ressaltou que por meio do compartilhamento de veículos é possível reduzir a frota e os custos do município. “Na era moderna não podemos mais ter veículos ociosos. Hoje nós temos aplicativos de compartilhamento em que o cidadão aluga o próprio carro. Então, se você disponibiliza um carro elétrico para os servidores compartilharem, você reduz a frota, reduz gastos com manutenção e combustível. A recarga do carro que estamos cedendo para a prefeitura custa em média R$ 5 para rodar 100 quilômetros e a manutenção é praticamente nula”, exemplifica.

A Secretaria Municipal de Inovação, Ciência e Tecnologia (Sictec) ficará a cargo da execução dos testes. De acordo com o titular da pasta, Hemmanoel Feitosa, “nosso projeto é de que, após a instalação dos carregadores, os servidores possam, de forma compartilhada, utilizar os veículos no deslocamento entre as unidades da prefeitura, o que vai gerar economia de combustível e de recursos para as contas públicas. A expectativa é que o programa fomente a adoção de veículos elétricos por parte dos moradores”, afirma Hemmanoel.

O transporte dos dois veículos de Brasília para Goiânia foi feito pela Secretaria Municipal de Mobilidade (SMM). De acordo com o titular da pasta, Horácio Mello, “é uma parceria entre a Prefeitura de Goiânia e a ABDI para incentivar o uso de carros elétricos, como futuro, talvez, da mobilidade: gera menos poluição, traz economicidade e coopera para as cidades sustentáveis. Nos ajuda também a atingir metas da Organização das Nações Unidas para uma cidade inteligente e na redução da emissão de CO2 na atmosfera”.

Horácio Mello acrescenta que o projeto se chama Veículo Elétrico e Mobilidade de Goiânia (VEM GYN). Os carros serão plotados com a logomarca da prefeitura. “O mais importante é que nossa capital está inserida nos estudos e pilotos de novas tecnologias para mobilidade, que podem ser testadas por servidores e profissionais de imprensa. Ainda está sendo formatado o melhor modelo para atender ao município, mas o prazo deve ser expandido por um ano”, conclui.

Veículos
O ano de 2022 fechou com números representativos para o segmento de veículos leves eletrificados no Brasil: 49.245 unidades emplacadas, um market share de 2,5% em relação ao total de emplacamentos domésticos no mesmo período (1.957.699) e uma frota eletrificada total circulante de 126.504 veículos.

Cabe lembrar que o market share dos eletrificados fechou o ano de 2021 em 1,8%, o que indica que o mercado avança, com mais investimentos e apostas, tanto por parte das montadoras como pelos consumidores da tecnologia.

Os destaques de 2022 foram os veículos elétricos plug-in (BEV e Phev), que ganharam mercado. Totalizaram, em conjunto, 18.806 emplacamentos no ano, que representam 0,9% do total de automóveis e comerciais leves realizados no país durante o período. As projeções da ABVE indicam que, em 2023, o percentual deve aumentar.

Os automóveis que serão disponibilizados para a prefeitura de Goiânia são do modelo Twizy, da marca Renault. Ele é totalmente elétrico, com duas vagas (motorista e carona). O carro possui autonomia para percorrer 100 quilômetros sem recarregar, a uma velocidade máxima de 80 quilômetros por hora.

Teste
A servidora Helena Montenegro, que trabalha no protocolo da Secretaria Municipal de Governo disse esperar que essa tecnologia auxilie positivamente os servidores. “Dei uma voltinha aqui no Paço e amei a experiência. Torço que todos servidores sejam beneficiados, precisamos nos deslocar muito entre as secretarias”, afirmou.

Também participaram do evento os secretários Michel Magul (Governo); Everton Schmaltz (Prioridades Estratégicas); Reale Palazzo (Comunicação); Tatiana Accioly (Procuradoria), além dos vereadores Cabo Senna; Denício Trindade; Pastor Wilson; e Henrique Alves

Fotos: Jackson Rodrigues

Secretaria Municipal de Comunicação (Secom) – Prefeitura de Goiânia