Saúde

Saúde proporciona atendimento integral à gestante

Publicado em: 01 de junho de 2021 às 11:33 | última atualização: 01 de junho de 2021 às 11:49

Tamanho da fonte:
-A A A+
Ouça a notícia aqui

Nas Unidades de Atenção Primária do município, a Política de Atenção à Mulher atinge todas as fases do ciclo de vida, independente da faixa etária e do grupo populacional pertencente. Entre as ações desenvolvidas pelas unidades de saúde, destaca-se o cuidado às gestantes e puérperas, uma vez que a mortalidade materna está diretamente relacionada à qualidade de vida e assistência durante o pré-natal e parto.

“Um contexto favorável fortalece os vínculos familiares, condição básica para o desenvolvimento saudável do ser humano”, ressalta Alessandra Mizael de Oliveira, da USF Grajaú. Por isso, a equipe de saúde deve compreender os múltiplos significados da gestação para a mulher e a família. Sendo a assistência pré-natal, um momento privilegiado para discutir e esclarecer questões únicas, de forma individualizada, independente de já ter outros filhos ou não.

A assistência ao pré-natal na Atenção Primária do município disponibiliza à gestante: consultas regulares, exames periódicos e encaminhamentos à Atenção Secundária. As maternidades em situações de emergência e ao final da gestação são de livre demanda para as gestantes, que são informadas acerca da vinculação de parto. O atendimento à gestante compreende os seguintes serviços:

  • Consultas de pré-natal: até 28 semanas de gestação, as consultas são realizadas mensalmente; de 28 a 36 semanas quinzenalmente e, após esse período, semanalmente, sendo coberta pela Estratégia Saúde da Família. As consultas são alternadas entre os profissionais médicos e enfermeiros. Nas Equipes de Atenção Primária, as consultas são realizadas pelo médico ginecologista. Há disponibilização para consulta do parceiro, chamada de pré-natal do parceiro, momento relevante que estreita as relações intradomiciliares e entre os profissionais assistentes.
  • Exames: nas consultas, são solicitados os exames preconizados pelo Caderno de Atenção Básica do Ministério da Saúde, que orienta a assistência ao pré natal. São disponibilizados exames de triagem para infecções sexualmente transmissíveis (HIV, sífilis, hepatite B e C), teste da mamãe, exames laboratoriais e de ultrassonografia.
  • Consulta especializada: em caso de necessidade clínica ou alteração nos exames, a equipe assistente pode solicitar e encaminhar a gestante para uma consulta especializada disponível na rede. Durante as consultas de pré-natal, a gestante é orientada acerca da necessidade de consulta puerperal precoce, momento oportuno para avaliação da amamentação, cuidados com coto umbilical e imunização. 

Lembrando que, desde o pré-natal, a equipe incentiva o retorno da mulher e bebê de sete a dez dias após o parto, importante até para orientações relacionadas ao puerpério e cuidados com recém-nascido. “O posicionamento errado do bebê dificulta a sucção e ocasiona problemas para a mãe, como a mastite”, explica Alessandra. 

A profissional recorda que, fora da pandemia, a unidade executa projetos presenciais de atendimento às futuras mamães. “Temos o grupo de gestante, com reuniões para fortalecer o vínculo mãe e filho, além de proporcionar mais segurança nesta fase. Nos encontros, são discutidos temas como sexualidade, alimentação saudável, aleitamento materno, demonstração do banho do recém-nascido e cuidados com o coto umbilical”, lembra. 

Atenção às mulheres não grávidas 

As Unidades de Atenção Primária ofertam consultas médicas e enfermagem de rotina. Conforme a demanda da usuária, são disponibilizados exames colpocitológicos, mamografia (rastreamento/diagnóstico), exames laboratoriais e de imagem. Consultas especializadas direcionadas ao planejamento familiar, como DIU e laqueadura, também são ofertadas, bem como os demais métodos contraceptivos, parte integrante do Programa de Planejamento Familiar.

Luciana Gomides, editoria de Saúde