O prefeito de Goiânia Rogério Cruz lançou, na manhã desta quinta-feira (15/09), a Plataforma de Inteligência Processual Estratégica (IPE), desenvolvida pela Secretaria Municipal de Inovação, Ciência e Tecnologia (Sictec) e Procuradoria-Geral do Município (PGM). O sistema tem como principal objetivo automatizar as atividades cotidianas da Procuradoria, simplificando o trabalho de todos que lidam com processos judiciais, e permitirá economia de R$ 1 milhão ao cofre público.

No lançamento do novo sistema, no Salão Nobre do Paço Municipal, Rogério Cruz destacou que a tecnologia chega ao poder público “para auxiliar aqueles que realmente desejam apresentar trabalho, dar respostas e entregar soluções, como é o caso da plataforma de Inteligência Processual Estratégica (IPE)”.

“Tecnologia é essencial na administração pública, e na prefeitura todas as secretarias evoluem nesse sentido”, ressaltou. “Vamos fazer com que Goiânia se torne a capital tecnológica que nós precisamos”, enfatizou.

O secretário municipal de Inovação, Ciência e Tecnologia, Hemmanoel Feitosa e Silva, destaca que, com esse sistema, será possível “dar mais eficácia aos serviços prestados por todas as pastas da administração municipal”.

“A consequência disso é um melhor atendimento da prefeitura à população de Goiânia”, frisou. Para ele, diante da grande demanda na Procuradoria, o novo sistema IPE “deixará o ambiente de trabalho mais agradável, organizado, produtivo e muito mais econômico”.

Hemmanoel Feitosa explicou que o IPE vai fornecer à Procuradoria controle automatizado dos processos, gestão e acompanhamento dos mesmos, e distribuição de forma automática. Com isso, possibilitará acompanhamento dos prazos de maneira sistêmica, evitando que possam ser eventualmente perdidos. “Também é possível identificar em que fase eles se encontram, e ainda eliminar o trabalho manual, visto como cansativo e, por vezes, suscetível a falhas”, observou.

Avanços tecnológicos
Ao destacar a importância da plataforma de Inteligência Processual Estratégica (IPE), a procuradora-geral do município, Tatiana Accioly, salientou que, ao assumir o comando do órgão, constatou que não havia nenhum tipo de auxílio de distribuição de atividades na medição de desempenho, e até mesmo na quantificação de processos.

“Minha primeira tarefa, e aqui estão todos os chefes e subchefes que me acompanham desde então, foi conscientizá-los da importância desta gestão, por resultados, os quais abraçaram este desafio, e de forma ainda manual, precária, em meio a planilhas, começaram a medir resultados de suas equipes, e os avanços apareceram”, pontuou.

Com a nova plataforma, a titular da PGM diz que o órgão “terá um olhar mais preciso e abrangente sobre a atuação da Procuradoria, sendo possível medir indicadores de desempenho dos setores, revisar a distribuição de processos judiciais, que antes era feita quase que manualmente, e automatizar nossas atividades cotidianas, otimizando o trabalho de todos”.

Participaram do evento, José Firmino (secretário particular e chefe de gabinete do prefeito), Cida Garcêz (Direitos Humanos e Políticas Afirmativas), Wellington Paranhos (Guarda Civil Metropolitana), vereador Anselmo Pereira e procuradores do município.

Secretaria Municipal de Comunicação (Secom) – Prefeitura de Goiânia