Mesmo com a suspensão das aulas presenciais devido à pandemia da Covid-19, estudantes das unidades de ensino da Rede de Educação de Goiânia seguem sendo beneficiados com produtos alimentícios, conforme prevê o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). Com a ação, que ocorre mensalmente, quase 290 mil kits de merenda escolar já foram entregues aos 108 mil alunos matriculados nas unidades de ensino de Goiânia.

Conforme o prefeito de Goiânia, Rogério Cruz, o objetivo é complementar a alimentação dos estudantes. “Neste momento, a entrega desses itens é muito importante para as famílias dos alunos, sobretudo porque muitas pessoas perderam o emprego e porque a alimentação preparada em nossas instituições é balanceada e com cardápios pensados por nutricionistas”, afirmou Rogério, que tem visitado as unidades escolares e entregado CMEIs modernizados com novas salas modulares.

O kit de merenda complementa a alimentação de muitas famílias e cumpre uma das mais importantes funções das escolas, que é promover a segurança nutricional das crianças. Conforme o secretário municipal de Educação, Wellington Bessa, a próxima ação será no dia 17 deste mês e todas as medidas de segurança sanitárias serão adotadas durante a distribuição aos pais dos alunos. “Os horários serão escalonados e devidamente organizados pela direção de cada instituição”, relata o secretário.

Ele explica que pais e responsáveis devem aguardar o contato da direção na qual seu filho está matriculado, via ligação telefônica ou redes sociais oficiais da unidade, para saber qual dia e horário podem fazer a retirada do benefício. “Cada aluno tem direito a um kit e os pais e responsáveis têm direito a pegar a quantidade correspondente ao número de crianças matriculadas”, pontua o secretário, acrescentando que a medida continua válida durante todo o período de suspensão das aulas.

Beneficiada com a ação, Daianne Rodrigues dos Santos, que é mãe do Davi Rodrigues (2 anos), revela que toda ajuda é bem-vinda. “Principalmente no meu caso, pois trabalhava de freelancer em eventos e desde o início da pandemia não consegui mais emprego”, disse. Ela conta que todos os meses recebe a ligação da coordenação do Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) do Setor Progresso para buscar o kit merenda. “Assim como essa, minha família tem vivido de doações”, completa.

O kit

Os kits contam com arroz, feijão, farinha de milho, macarrão, leite e sardinha. “E importante ressaltar que a compra dos itens da merenda escolar é feita diretamente pelas instituições de ensino, com recursos do Programa de Autonomia Financeira da Instituição Educacional (Pafie)”, sublinha Bessa. Cada direção e conselho gestor devem cotar no mínimo três orçamentos e escolher o de menor preço, com a devida prestação de contas sobre a verba federal destinada à alimentação.

Mauro Júnio e Adriene Bastos, da Superintendência de Jornalismo e Redes