Direitos do Consumidor

Procon registra aumento no preço da carne em Goiânia

Costela bovina, coxão mole, fraldinha e picanha foram os cortes que mais apresentaram variação. As carnes de frango e suína também estão com os preços altos

Publicado em: 28 de janeiro de 2021 às 15:51 | última atualização: 28 de janeiro de 2021 às 15:51

Tamanho da fonte:
-A A A+

O consumidor que vai ao supermercado todos os dias já percebeu que os preços da carne continuam em alta. As maiores variações estão nos cortes de carnes bovina. O Procon Municipal está monitorando o preço do produto em Goiânia e encontrou variações de mais de 114% no valor do quilo para alguns cortes bovinos.

A pesquisa foi realizada em 12 supermercados localizados em diversos bairros da capital e os dados foram coletados entre os dias 20 a 27 de janeiro, levando em consideração os valores praticados em dias promocionais, quando geralmente este tipo de produto é vendido mais barato.

Nas carnes consideradas de segunda, o quilo da costela bovina foi que apresentou a maior variação de preço, que pode custar entre R$ 14,67 a R$ 31,49 dependendo do mercado, uma variação de 144,66%. O segundo lugar fica com a fraldinha, que tem variação de 86,99%. Os preços estão entre R$ 23,90 e R$ 44,69.

Os cortes mais caros também sofreram os reajustes. A picanha pode custar entre R$ 35,89 e R$ 99,90, sendo uma diferença de 178,35%. O lagarto foi encontrado entre R$ 28,98 e R$ 43,69, variação de 50,76%. Já o quilo do patinho varia de R$ 29,98 até R$ 45,98, alcançando uma variação de 53,37%.

O quilo do coxão mole apresentou variação de 53,40%. O menor preço encontrado foi de R$ 29,98 e o maior R$ 45,99.

A pesquisa também tem informações sobre produtos como frango e porco. No geral, a maior variação encontrada foi para o quilo do filé de frango, que custa entre R$ 9,99 e R$ 22,98, variação de 130,03%. Em seguida, o quilo do frango inteiro congelado, que custa R$ 7,49 até R$ 10,90, alcançando uma variação de 45,53%. O quilo da asa de frango que apresentou diferença de 53,22%. O menor preço encontrado foi de R$ 15,99 e maior R$ 24,50.

O quilo do lombo suíno apresentou a maior variação de 112,43%. O menor preço encontrado foi de R$ 16,90 e o maior R$ 35,90.

Confira aqui a pesquisa completa

Em meio a uma alta de 18% no preço da carne em 2020, o consumo de proteína bovina pelos brasileiros caiu no ano passado. Os dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), mostram que a população chegou a consumir 29,3 quilos de carne em 2020, 5% a menos do que no ano anterior. Em 2019 já tinha recuado em 9%.

O Presidente do Procon Goiânia, Gustavo Cruvinel, explica que a perspectiva para este ano é de que os preços da carne de boi continuem em alta e com isso, o consumidor vai deixar de comprar o produto com muita frequência.

"Com o desemprego acima dos 14%, o consumidor de baixa renda vai procurar proteínas alternativas, como ovo, frango e suíno, que também estão com valores altos, mas a carne bovina é a que mais sente quando o poder aquisitivo da população diminui", diz o presidente do Procon.

Anderson Clemente, da editoria de Defesa ao Consumidor