A Prefeitura de Goiânia, por meio do Procon Municipal, realizou pesquisa de preços dos produtos mais consumidos na Semana Santa, chocolates e peixes. Foram pesquisados 59 itens em nove supermercados, aqui da capital. 

A pesquisa constatou que os preços dos ovos de chocolate: Nestlé ao leite Clássico de 185 gramas, Galak da Nestlé de 185 gramas, Batom ao Leite de 186 gramas, Garoto Crocante de 215 gramas e Garoto Cores de 210 gramas apresentaram a mesma variação. A variação foi de 98,14%. O menor preço foi encontrado a R$ 20,99 e o maior a R$ 41,59.

O ovo de chocolate Nestlé Zero Açúcar de 170 gramas, a variação foi de 7,15%, com preços oscilando entre R$ 27,99 e R$ 29,99. Com 12,05% é a variação de preços do Lacta ao Leite de 170 gramas. Os preços variam de R$ 24,90 a R$ 27,90. O ovo Diamante Negro de 176 gramas foi encontrado no valor de R$ 27,90 e de R$ 34,90 em outro estabelecimento.

O ovo de chocolate de 166 gramas que vem com brinquedos como prêmio apresentou variação de 77,15% com preços entre R$ 30,99 e R$ 54,90. Com relação a caixa de bombons, a variação chegou a 28,61%, com preços variando entre R$ 6,99 e R$ 8,99.

Peixes

O peixe também teve grande variação de preço. O quilo do filé de tilápia, um dos peixes mais vendidos, pode ser encontrado de R$ 24,87 até R$ 71,60. Totalizando uma variação de 187,90%. O pintado variou de R$ 12,99 até R$ 31,41, alcançando um percentual de 141,80%.  Já o filé de abadejo, o quilo pode ser encontrado de R$ 47,80 até R$ 101,98. Uma variação de 113,35%.  Outro produto que teve um aumento considerado foi o quilo do bacalhau do Porto, o maior preço é de R$ 98,70 e o menor 57,80. Esse pescado teve uma variação de 70,76%.

Os pescados que apresentaram as menores variações foram: atum, filé de polaca, filé de cação sem pele, pirarucu e salmão.  O atum enlatado variou em 27,32%, indo de R$ 5,49 até R$ 6,99. O valor do filé de polaca foi encontrado de R$ 24,39 a R$ 33,63.   Já o quilo do filé de cação sem pele teve uma variação de 37,88%. Sendo que o menor preço foi R$ 24,39 e o maior R$ 33,63. O quilo do salmão teve uma redução no preço médio de 59,78%, oscilou entre R$ 37,49 a R$ 59,90.

Para economizar dinheiro, tempo e não ter desperdício de alimento, é importante começar pelo planejamento. O Procon Goiânia aconselha realizar uma pesquisa de preços em feiras livres, pontos de vendas temporários, peixarias e supermercados e ir às compras com antecedência, pois de última hora os produtos tendem a ficar mais caros. Além disso, é preciso calcular a quantidade de alimento necessária e estipular um valor máximo a ser gasto, avaliando as prioridades.

Devido a rápida propagação da Covid-19, recomenda-se que idosos não devem ir às compras. A permanência de no máximo 30 minutos dentro dos estabelecimentos. Uma única pessoa da família para realizar as compras necessárias. Não levar crianças ao mercado. Manter um metro e meio de distância afastado em caso de filas e dentro do supermercado. Evitar aproximação no pagamento ao caixa e limpar com álcool carrinhos e cestas de compras.

Quem não abre mão de ter peixe no cardápio está sempre atento no momento das compras. É preciso estar atento às condições de armazenamento e higiene do local de venda do pescado. Analisar o ambiente e identificar eventuais irregularidades são essenciais na escolha um local seguro para realizar a compra.

No caso do peixe fresco, deve estar em local refrigerado ou sob espessa camada de gelo. O ambiente deve estar limpo, livre de insetos, poeira, pedaços de plásticos, e o pescado não pode estar armazenado próximo a produtos químicos, como sabões e detergentes.

Se o pescado estiver inteiro, o consumidor deve observar a coloração das escamas, pois elas ajudam a preservar as propriedades do peixe.  As escamas devem estar firmes, translúcidas e brilhantes. Já a pele deve ter bom aspecto, estar úmida, aderida, sem furos, cortes ou manchas.

Outra dica é verificar o globo ocular, pois quando o peixe está fresco a aparência dos olhos é mais viva e brilhante do que quando ele está congelado há algum tempo. Mas se o consumidor optar pelo peixe congelado, a dica do Procon é verificar se o freezer do estabelecimento permanece ligado ininterruptamente. Ao observar sinais de descongelamento, a orientação é não comprar. Além disso, sempre verificar a data de validade e as orientações para a boa conservação do produto. Em casa, uma vez descongelado, o peixe não pode ser congelado novamente.

Para garantir um cardápio gostoso e saudável, confira outras dicas do Procon Municipal:

Comércio e embalagem

Escolha um local com boas condições de higiene, limpeza e organização. Em feiras livres, peixarias ou supermercados, observe se estão acondicionados adequadamente. Nada de embalagens rasgadas, violadas, amassadas ou com sinais de contaminação. A embalagem deve indicar o nome do fabricante, endereço, selo do serviço de inspeção municipal, estadual ou federal. O atendente deve estar devidamente uniformizado e equipado com luvas, touca, máscara e roupas limpas.

Secos e Enlatados

Fique atento, pois muitos mercados anunciam como bacalhau todo tipo de peixe salgado seco! Observe as informações na embalagem do produto: tipo do peixe, fabricante, peso líquido, data da embalagem, prazo de validade e orientações de conservação e preparo e informação nutricional. O peixe seco deve estar firme e sem odor desagradável. A mesma dica do bacalhau vale para os enlatados, pois algumas marcas anunciam o produto como atum, quando na verdade são outros peixes.

Seus direitos

O direito à informação é fundamental na relação consumidor. Por isso, o fornecedor é obrigado a manter no estabelecimento comercial, ou feiras livres, a tabela de preços por quilograma. Os produtos devem estar dispostos de modo a não induzir o consumidor a erro. Caso o pescado esteja embalado, verifique se peso e preço são os mesmos nos caixas. Em caso de diferenciação, o consumidor pagará sempre o menor valor.

Dicas sobre a compra de ovos de chocolates

Dependendo do valor, tenha em mente que oval, redondo ou em barra, chocolate é chocolate. Confira algumas dicas:

 Como ocorre com outros alimentos, a embalagem de ovos ou da barra de chocolate deve estar em boas condições de armazenamento. Verifique se há sinais de violação do conteúdo. Evite produtos amassados ou com furos na embalagem;

Quando houver inclusão de brinquedos observe se na embalagem contém o selo com a idade recomendada para seu uso. Também deve conter a seguinte frase: “Atenção! Contém brinquedo certificado no âmbito do Sistema Brasileiro de Avaliação da Conformidade”;

Os rótulos devem trazer, além da identificação do fabricante, a data de validade, peso e a composição. Isso porque determinadas doenças impedem aos seus portadores a ingestão de açúcar ou glúten, por exemplo.

Ovos com brinquedos e embalados com personagens infantis podem custar ainda mais, se possível, não leve as crianças nas compras.

Clique aqui para acessar a pesquisa de ovos de chocolate

Clique aqui para acessar a pesquisa de preços de peixe  

Anderson Clemente, da editoria de Defesa do Consumidor