Finanças

Processo de Desistência Fiscal é 100% digitalizado

Objetivo é gerar mais celeridade e economia para o Executivo

Publicado em: 08 de dezembro de 2020 às 17:05 | última atualização: 08 de dezembro de 2020 às 17:05

Tamanho da fonte:
-A A A+

A Diretoria de Modernização e Projetos Especiais da Secretaria de Finanças, em trabalho conjunto com a Procuradoria Geral do Município (PGM) e a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho, Ciência e Tecnologia (Sedetec), concluiu na última semana a automatização dos Processos de Desistência Fiscal da Prefeitura de Goiânia, que passam a ser 100% digitais. De acordo com a secretária de Finanças, Zilma Peixoto, a ação gera mais celeridade e economia.

“Nós queremos transformar a administração municipal por meio da modernização dos processos de trabalho e a Desistência Fiscal é o nosso projeto piloto. É um exemplo claro de como podemos entregar mais eficiência e agilidade, com redução de custos para o Executivo”, afirmou a titular das Finanças.

Segundo a Procuradoria, o Processo de Desistência Fiscal é iniciado pela pasta quando a execução fiscal em análise possui algum vício ou motivo que impeça a cobrança do crédito e o município desiste da ação judicial. A duração da tramitação do processo foi reduzida de 60 para 29 dias e com as novas ferramentas utilizadas não há necessidade de impressão de papel para coleta de assinaturas.

A diretoria de Modernização da Secretaria de Finanças já prepara a digitalização de novos fluxos de trabalho. “Nós mapeamos todas as atividades que são realizadas para atender determinada finalidade e delineamos a automatização desse processo de trabalho, que é efetivada com a ajuda da Sedetec”, contou a diretora de Modernização, Fernanda Pessoa. “A missão é ampliar o uso de tecnologia para reduzir os processos físicos e otimizar a utilização de recursos materiais e humanos para tornar mais ágeis as respostas da Prefeitura de Goiânia às demandas da sociedade”, disse Fernanda.