A Prefeitura de Goiânia, em parceria com o consulado do Líbano em Goiânia e a Embaixada do Líbano no Brasil, realizou, nesta sexta-feira (20/01), a abertura da exposição “Beirute: o caminho dos olhares”, do fotógrafo libanês Dia Mrad. A mostra fotográfica retrata as perdas históricas e a situação devastadora da capital libanesa após a explosão que assolou a cidade em 2020.

A exposição está aberta ao público das 09h às 17h, no Centro Cultural Casa de Vidro Antônio Poteiro, na Avenida Jamel Cecílio, Jardim Goiás, e será exibida até o dia 30 de janeiro.

O secretário de Governo, Michel Magul, destacou durante a solenidade de abertura que Goiânia e Goiás têm uma significativa parcela de descendentes de libaneses, e ocupa a terceira posição entre os locais do país que mais receberam imigrantes árabes desde a chegada do primeiro navio libanês ao Brasil, em 1.880.

“Por isso, é justo e necessário reconhecer nossas raízes, valorizar aqueles que emprestaram seus traços à nossa cultura e mostrar nossa solidariedade e o nosso pesar frente a esse episódio tão triste da história do Líbano”, disse Magul. “A exposição fortalece os laços entre o povo goianiense e libanês por meio do conhecimento, da sensibilidade, da arte”, completou.

Em 04 de agosto de 2020, uma grande quantidade de nitrato de amônio armazenada no porto de Beirute entrou em combustão, resultando na terceira maior explosão da história, a maior não nuclear. A explosão causou mais de 200 mortes, feriu 6.500 pessoas e deixou milhares desabrigadas.

As fotos de Dia Mrad mostram o dia seguinte após o episódio por meio de duas narrativas paralelas: a destruição dos edifícios históricos de Beirute – que faz parte da antiga civilização fenícia – e o marco zero da explosão, com foco nos silos de grãos que atuaram como escudo para a cidade.

A embaixadora do Líbano no Brasil, Carla Jazar, agradeceu o apoio da Prefeitura de Goiânia ao projeto e afirmou que trazer a mostra fotográfica a Goiânia é uma forma de compartilhar com as pessoas as dimensões da tragédia.

“A explosão destruiu o coração da nossa capital cultural, histórica e econômica. A exposição é uma forma de mostrar o que realmente aconteceu e conscientizar as pessoas sobre a magnitude do desastre que nos atingiu”, destacou Carla Jazar.

As fotos exibidas podem ser adquiridas pelos visitantes e parte da renda arrecadada com a venda é revertida para o financiamento de projetos de ajuda humanitária no Líbano.

Participaram da abertura da mostra fotográfica, dentre outras autoridades, o Consul Honorário do Líbano em Goiânia, Hanna Junior, o secretário estadual de Relações Internacionais do Governo de Goiás, Giordano de Souza, o presidente da Liga Cultural Gibran Kalil Gibran, Sassine Chehoud, o presidente da Sociedade Maronita, Pedro Sebba, e o presbítero da Igreja Ortodoxa de Antioquia em Goiânia, padre Rafael Magul.

Secretaria Municipal de Governo (Segov) – Prefeitura de Goiânia

prefeitura de goiânia