A Prefeitura de Goiânia, por meio da Secretaria Municipal de Administração (Semad), possui ações para se desfazer de bens patrimoniais que já não apresentam condições de uso. Estes materiais são constantemente recolhidos e enviados ao depósito público localizado em um condomínio de galpões próximo à avenida Perimetral Norte. Serão organizados leilões e doações de equipamentos inservíveis que possam ser reciclados. A meta é, gradativamente, esvaziar o espaço e evitar o dispêndio com aluguel.

Na gestão anterior, do prefeito Iris Rezende, em outubro de 2020, foi realizado o contrato para a locação de galpões de grande porte para servir de destino provisório a todos os bens que já não estavam em condições de uso, em todos os órgãos do município.

De acordo com a Comissão Permanente dos Bens Patrimoniais Mobiliários da Prefeitura de Goiânia, existem atualmente no local, 16.340 bens inservíveis no galpão, fora a quantidade de mercadorias e produtos apreendidos pela Secretaria Municipal de Planejamento e Habitação (Seplanh), que aguardam retiradas pelos donos.

Entre os materiais estão 120 veículos entre carros, motos ou maquinários, 8 mil módulos escolares, entre carteiras e cadeiras, 2.630 televisores, 200 geladeiras, 256 quadros negros e 350 armários de aço.

Em 2021, foi realizado o primeiro leilão de 68 veículos automotivos. Outros 120 aguardam o laudo de avaliação para serem leiloados ainda este ano.

Com relação a materiais recicláveis que não estão em condições de reparos ou de serem leiloados, o destino será a doação a entidades sem fins lucrativos ou cooperativas de materiais recicláveis.

A Semad já está com chamamento público e começará a autorizar a retirada do depósito público. Com relação a lixo e entulho, de alguns materiais que chegam em péssimas condições, o único destino apropriado será o aterro sanitário de Goiânia, onde periodicamente equipes da Comurg fazem a retirada.

O contrato prevê que, em cinco anos, ou seja, até 2025, a Prefeitura terá dado destinação final, a sucatas, veículos, móveis e materiais. O local em que se encontram atende à demanda para armazenamento, com proteção quanto à umidade, pragas, chuvas, calor, entre outros problemas.

A estrutura alugada tem mais de 7 mil metros quadrados, pé direito alto e portões intercalados, que suportam a entrada de veículos grandes. O condomínio de galpões possui métodos de segurança apropriados para o fim a que se destina, com entrada de terceiros sob autorização e monitorada 24 horas por dia.

A presidente da Comissão Permanente dos Bens Patrimoniais Mobiliários da Prefeitura de Goiânia, Daniela Calaça, ressalta que, a partir da locação dos galpões, propiciou a administração melhorar o inventário dos bens, ter maior controle do que já não serve mais, bem como ações para o desfazimento.

“A estrutura do depósito nos ajuda a organizar melhor o patrimônio da Prefeitura de Goiânia, que fará leilões, ajudará cooperativas com doação de materiais e aquilo que não tem recuperação encaminharemos para o descarte”, explica presidente da Comissão Permanente dos Bens Patrimoniais Mobiliários. “Atualmente. há uma grande quantidade de bens, mas, em breve, vamos nos desfazer de grande parte do que está armazenado”, destaca. 

Fotos: Semad

Secretaria Municipal de Administração – Prefeitura de Goiânia