A Prefeitura de Goiânia, por meio da Secretaria Municipal de Inovação, Ciência e Tecnologia (Sictec) e Procuradoria-Geral do Município (PGM), lança, nesta quinta-feira (15/09), às 08h30, no Salão Nobre do Paço Municipal, a plataforma de Inteligência Processual Estratégica (IPE), que tem como principal objetivo automatizar as atividades cotidianas da Procuradoria, simplificando o trabalho de todos que lidam com processos judiciais.

Após seis meses de desenvolvimento, o sistema passa a funcionar, efetivamente, a partir do dia 15 de setembro, e inaugura uma nova fase na PGM, que ainda não possuía um sistema de gestão jurídica. Com o IPE, será possível realizar a atualização de processos judiciais de acordo com a movimentação na Justiça, e a distribuição de atos e tarefas para procuradores, assessores e servidores de apoio, de modo mais ágil e eficiente.

O prefeito Rogério Cruz afirma que “este novo sistema incorpora o objetivo de aumentar a eficiência e efetividade da máquina pública municipal, trazendo, cada vez mais, técnicas modernas de gestão.”

A titular da PGM, Tatiana Accioly, celebrou o “novo tempo” de trabalho na pasta e a conquista de um sistema original. “A transformação digital é um sonho antigo da Procuradoria, e agora, graças à uma união de esforços, se tornou realidade. O IPE é diferenciado, uma vez que foi criado a partir do levantamento das necessidades e particularidades do trabalho desenvolvido pela pasta, ou seja, ele atenderá 100% das nossas expectativas”, diz.

Desenvolvido de acordo com o perfil da Procuradoria, o IPE chega para oferecer uma atuação sistêmica e ágil, automatizando rotinas e tarefas burocráticas, além de possibilitar a tomada de decisões estratégicas a partir dos dados que poderão ser extraídos dele.

O secretário municipal de Ciência e Tecnologia, Hemmanoel Feitosa e Silva, destaca que este é um passo importante na gestão, “pois há controle de prazos, agilizando a delegação de tarefas, e auxiliando, desta forma, a aumentar a eficácia da operação jurídica do município”.

“Implantar sistemas de inteligências na administração pública significa estabelecer o seu foco no atendimento às necessidades dos cidadãos, de forma produtiva e ágil, desburocratizando a máquina pública”, ressalta.

Vantagens do sistema
O IPE possui funcionalidades que otimizarão o trabalho dos envolvidos, proporcionando melhor organização das rotinas, controle de prazos, acesso facilitado às informações do processo e acompanhamento de indicadores de desempenho das equipes que atuam na plataforma.

Além disso, a reunião de informações processuais em um só lugar contribuirá para uma gestão interna mais eficiente, facilitando a interação com outras pastas, e funcionando de forma integrada com o PROJUDI, sistema do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO).

A partir da implantação de sistema de inteligência processual, o gestor público terá em mãos dados concretos referentes a fatores de importância de diferentes setores como, por exemplo, sobre a quantidade de tarefas executadas, número de servidores envolvidos, tempo de execução e quais são os gargalos a serem resolvidos.

O sistema vai possibilitar o emprego de servidores qualificados em atividades mais intelectivas, já que muitas tarefas burocráticas e repetitivas não serão mais realizadas por eles.

Ademais, a implantação de plataforma própria também representa economia financeira de, no mínimo, R$ 1 milhão, que seria o valor médio de mercado para aquisição de um sistema deste porte.

Funcionalidades

O sistema fará a distribuição automática de mais de 90% das intimações que hoje são realizadas de forma manual. Também otimizará o trabalho de procuradores e assessores por meio de controle de prazos processuais, concentração de informações em apenas uma plataforma, além de gerir processos judiciais e providências administrativas no âmbito da Procuradoria.

Secretaria Municipal de Comunicação (Secom) – Prefeitura de Goiânia

prefeitura de goiânia