A Prefeitura de Goiânia, por meio da Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg), aproveita a época de estiagem, entre os meses de julho a setembro, para intensificar a colheita de sementes nos canteiros públicos da capital. Nesse período, Comurg chega a coletar 120 litros de sementes por mês. Elas são suficientes para produção de 150 mil mudas por mês, que podem chegar a 1,8 milhão plantas por ano.

A colheita acontece de forma manual e diária. Enquanto alguns servidores limpam os canteiros e fazem a poda das plantas, outros fazem a colheita das sementes, que são levadas para os viveiros, onde passam por vários processos até a germinação e plantio.

Assim que chegam aos viveiros, as sementes que já vêm separadas por espécies são selecionadas pelos servidores e, em seguida, colocadas em esteiras ou sacos para secagem, ou são armazenadas. Na sequência, são distribuídas nas sementeiras ou nos canteiros para germinação.

Após o nascimento, são transplantadas para a estufa, onde são transferidas para as embalagens. Após alguns dias, dependendo da espécie, são levadas para tomar sol e, por fim, encaminhadas para os canteiros das praças.

O presidente da Companhia, Alisson Borges, ressalta que apesar de intensificada nessa época do ano, a atividade é feita sob a demanda das próprias plantas, que variam entre os tipos ornamentais: forrageiras, arbustos, trepadeiras, palmeiras e árvores. “Árvores, como sibipiruna, ipê e jambo do pará, e espécies ornamentais, como zínia, sálvia, plumbago, girassol, dália e camomila, são algumas das plantas que a Comurg utiliza nos ajardinamentos”, explica.

Localização dos viveiros da Comurg

• Vila Redenção – Setor Pedro Ludovico Teixeira
• Viveiro Buritis – Residencial Kátia
• Viveiro Nova Esperança – Aterro Sanitário
• Viveiro Meia Ponte – Jardim Novo Mundo

:
Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg) – Prefeitura de Goiânia