O aplicativo “Goiânia contra o Aedes”, criado por meio de uma parceria da Prefeitura de Goiânia com o Ministério Público de Goiás (MP-GO), pode ser utilizado pelos moradores de Goiânia no combate à dengue. O app permite que a população, mediante filmagem ou fotografia e pelo envio de localização (georreferenciamento), encaminhe denúncia para a Vigilância Epidemiológica. Caso haja interesse em ter retorno sobre a denúncia, basta preencher o campo do email.

A ferramenta pode ser baixada na Google Play e na App Store e é muito simples de ser usada, a pessoa não precisa se identificar e basta colocar o endereço, ou só clicar no mapa e enviar fotos ou vídeos. O aplicativo é mais um meio disponibilizado pelo município no controle do mosquito. A população também pode fazer denúncias pelos telefones 156 e 3524-3131.

O diretor de Vigilância em Zoonoses, Murilo Reis, chama a atenção dos moradores. “Não adianta se a pessoa sai por aí fazendo fotos e vídeos, fazendo as denúncias se ele não olha como está a situação na sua residência, sabemos que a maioria dos focos está em quintais e dentro das casas”, alerta.

*Principais criadouros*

De acordo com Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRAa), fechado nesta quarta-feira (26/1), os três principais grupos de criadouros do mosquito são: 1º lugar (39,42% dos casos): lixo, recipientes plásticos, garrafas, latas e sucatas em pátios; 2⁰ lugar (20,92% dos casos): tambores, tonéis, caixas d’água no solo, poço e cisterna; 3º lugar (18,9% dos casos): vasos de plantas, frascos com água, vaso sanitário, pequenas fontes ornamentais, pingadeiras, pratinho do vaso de planta e recipientes de degelo de geladeiras.

_Sirlene Mendonça, da editoria de Saúde_

prefeitura de goiânia

saúdegyn