A Prefeitura de Goiânia, por meio do programa de Defesa do Consumidor (Procon Goiânia), realizou pesquisa de preços entre os dias 09 a 14 de dezembro, em diversos estabelecimentos comerciais de Goiânia, com o objetivo de informar e alertar os consumidores quanto às variações dos valores de alguns produtos da ceia de Natal.

A lista, com 25 itens em seis estabelecimentos comerciais, aponta percentuais de variações consideráveis, e auxilia o consumidor no momento da compra. As cinco maiores variações estão entre 134,13% e 328,97%.

Além de revelar variações percentuais entre produtos da mesma marca, a pesquisa oferece uma referência ao consumidor por meio de preços médios obtidos na amostra.

As cinco maiores variações encontradas pelos pesquisadores são: avelã sem casca/ 100g (328,97%) menor preço R$ 4,66 – maior preço R$ 19,99, castanha do pará/ 100g (170,95%) menor preço R$ 9,19 – maior preço R$ 24,90, ameixa nacional/ Kg (162,87%) menor preço R$ 7,19 – maior preço R$ 18,90, pêssego nacional/ kg (160,32%) menor preço R$ 4,99 – maior preço R$ 12,99, e lombo de porco/ kg (134,13%) menor preço R$ 18,49 – maior preço R$ 43,29.

“Com a pesquisa, o consumidor poderá economizar, pois, se realizar a compra pelo menor preço desses cinco itens acima, sua despesa será de R$ 44,52. Já se ele efetuar suas compras, e se deparar sempre com o maior preço, sua despesa será de R$ 120,07. Sendo assim, utilizando essa pesquisa como base para suas compras, o consumidor poderá economizar R$ 75,55, apenas nesses cinco itens, gerando uma economia considerável ao final de toda lista”, explica o presidente do Procon, Júnior Café.

No comparativo com os preços dos mesmos produtos comercializados em 2021, tendo por base o menor preço encontrado, foi constatado aumento de preço na grande maioria dos produtos. O Tender, por exemplo, custava R$ 34,98 em 2021, mas pode ser encontrado a R$ 60,99 em 2022, um aumento de 74,36%.

Já o Peru, que custava R $19,99,00 em 2021, é encontrado atualmente a R$ 27,99, um aumento de 40,02%. O panetone sofreu reduflação, ou seja, é o processo em que os produtos diminuem de tamanho ou quantidade (440g em 2021 / 400g 2022), enquanto que o preço se mantém inalterado ou aumenta. Com uma variação de 158,72%, o panetone foi de R$ 3,44 em 2021, para R$ 8,90 em 2022.

Orientações
Antes de comprar os produtos, o consumidor deve se atentar para a qualidade, a data de validade e se a embalagem não está violada ou amassada. Para as peças vendidas em bandejas de isopor e embaladas com plástico, atenção à cor e ao aroma. O prazo de conservação aceitável desse tipo de alimento em refrigeradores é de, no máximo, três dias.

“Pesquisar é o melhor caminho para que o consumidor faça economia e tenha satisfação na compra dos produtos. Marcas conhecidas nem sempre são sinônimo de melhor qualidade. Busque o produto que lhe atenda conforme a sua necessidade e que esteja dentro do seu orçamento”, afirma o presidente do Procon, Júnior Café.

Como entidade de proteção ao consumidor, o Procon Goiânia recomenda que seja observada minimamente a higiene do local. Assim como a checagem se os funcionários que estão em contato com alimentos estão utilizando luvas e toucas. Sugere também que os consumidores analisem se não há água escorrendo dos refrigeradores, porque isso pode ser um sinal de que foram desligados à noite. Também é importante observar a origem do produto e se ele possui selo do Serviço de Inspeção Federal (SIF).

Confira a pesquisa completa aqui

Programa de Defesa do Consumidor (Procon Goiânia) – Prefeitura de Goiânia

prefeitura de goiânia