Estamos migrando o conteúdo dos antigos sites da Prefeitura. Se não encontrar o que está procurando, CLIQUE AQUI e acesse o site antigo.

VOLTAR para o site antigo.

BETA i

Segurança

Operação Férias tem balanço positivo

Operação Férias realizada pela GCM apresentou uma redução nos índices de ocorrências em comparação ao ano anterior

Publicado em: 05 de agosto de 2019 às 11:19 | última atualização: 05 de agosto de 2019 às 11:22

Na manhã desta sexta-feira, 2, o comando da Guarda Civil Metropolitana de Goiânia (GCMG) recebeu o relatório de balanço final das ações e ocorrência das equipes que atuaram na operação durante o mês de julho. Os números referem-se ao período compreendido entre 29 de junho, início da operação, até 31 de julho. 

'Os números mostram uma redução significativa dos índices  em relação aos anos anteriores em concorrências como abordagens, patrulhamentos preventivos, furtos, apoios a acidentes de trânsito, documento encontrado, pessoas desaparecidas que foram encontradas, entre outros”, disse o coordenador da operação, GCM Wellington Paranhos .

 De acordo com o relatório, alguns pontos são bastante relevantes, tais como: em 2018 foram registrados 7.621 monitoramentos nos prédios, 16 furtos e 20 depredações, já este ano foram 12.449 monitoramentos nos prédios, 1 furto e 7 depredações, ou seja, foram 4.828 monitoramentos a mais e 15 furtos e 13 depredações a menos do que o ano passado. 

Para o comandante da corporação, Inspetor José Eulálio Vieira, “foram mais de trinta dias de operação feitos de forma concatenada entre todos os componentes da GCM, onde contamos com o apoio de cada uma das sete regionais e dos grupamentos da Guarda Ambiental e das Rondas Ostensivas Municipais (Romu), pois cada região é diferenciada uma das outras”, ressaltou. 

Ele reforça que a pedido do prefeito Iris Rezende o serviço continuará em toda a cidade e pede que a população denuncie através do telefone institucional 153 – Plantão 24h, caso notem qualquer tipo de movimentação que fuja à rotina da escola ou do próprio público e que comunique para evitar o ato ilícito. 

Luiz Galvão, da editoria de Segurança