Coronavírus

Operação Carnaval multa mais de 30 estabelecimentos em Goiânia

Central de Fiscalização da Covid-19, que foi a locais específicos e de denúncias que descumpriam os protocolos sanitários, finalizou as ações nesta semana

Publicado em: 18 de fevereiro de 2021 às 14:11 | última atualização: 18 de fevereiro de 2021 às 17:41

Tamanho da fonte:
-A A A+

A Prefeitura de Goiânia, por meio da Central de Fiscalização da Covid-19, finalizou nesta semana a Operação Carnaval, que fiscalizou 87 locais em diferentes regiões de Goiânia. O objetivo foi dispersar as aglomerações e verificar o cumprimento dos protocolos de prevenção da Covid-19, além de observar o horário de funcionamento de locais com vendas de bebidas alcoólicas. Denúncias formuladas pela população por meio do aplicativo Prefeitura 24 horas também entraram na rota das equipes.

“A triste constatação é que o contingente de pessoas que insistem em desrespeitar os protocolos de prevenção ainda é muito grande. Bares lotados, boates abarrotadas e até mesmo igrejas admitindo número excessivo de pessoas em seus templos refletem o aumento do número de casos de internação e de óbitos e colocam a cidade à beira de um colapso sanitário”, explica o diretor da Vigilância Sanitária, Jadison Tavares.

As fiscalizações que ocorreram em bares, restaurantes, boates, festas clandestinas e igrejas resultaram em 33 estabelecimentos autuados e fechados e 10 intimados por motivos diversos. Outros
44 estabelecimentos denunciados estavam cumprindo as exigências no momento da fiscalização e não sofreram penalidades.

As principais irregularidades encontradas foram: excesso de pessoas, não uso de máscaras, funcionamento irregular (boates e festas) ou fora do horário limite (distribuidoras, bares e restaurantes). Houve também dezenas de outros locais não contabilizados pela Central, abordados somente pelas equipes da Guarda Civil Metropolitana e Polícia Militar.

“A fiscalização prosseguirá no cumprimento de suas funções, mas é importante frisar que a participação da sociedade no cumprimento das normas é de extrema importância para a salvação de vidas, especialmente em um momento tão delicado como esse”, ressalta o diretor.

Thiago Melo, da editoria de Saúde