O Centro Livre de Artes/Escola Livre de Artes (CLA), localizada no Bosque dos Buritis, é uma unidade da Secretaria Municipal de Cultura (Secult), que neste ano abriu 1,2 mil vagas para diversas modalidades. 

Ainda restam algumas vagas remanescentes em Artes Cênicas e Oficinas Integradas online. Para mais informações acesse goiania.go.gov/secult, entre em contato via Instagram do CLA @centrolivredeartes.goiania ou via Whatsapp 62 -98412-4785.  

Atualmente, aluna de piano e canto coral, Mirrela Mendanha Paulino de Jesus, 28 anos, conta o quanto estudar piano foi e é importante em suas escolhas e realizações. “Vejo o quanto a escola mudou a minha vida, pois antes disso eu me formei em engenharia civil e estava tentando trabalhar na área, mas a partir de quando comecei a estudar piano no CLA eu vi que minha vida tinha que seguir outro caminho. Então, o CLA me despertou para essa nova etapa.  A engenharia virou passado na minha vida e a música é o presente.  Hoje, vejo que pode ser uma possibilidade profissional  porque o CLA abriu minha visão para isso”, afirma.

Sobre o “novo normal” com as aulas online, ela afirma que está muito feliz, por tê-las mesmo assim e principalmente em uma fase tão difícil de isolamento social. “Por conta da pandemia tem que ser assim e eu vejo o quanto os professores se esforçam, são muito organizados e a qualidade da aula continua a mesma apesar de ser no sistema remoto. A música é um remédio em tempos de pandemia! Espero poder voltar logo para aulas presenciais, pois eu sinto saudade do ambiente, das professoras, dos colegas”, conclui. 

Maria Lúcia e Denise

O CLA também tem feito parte da rotina da casa da pedagoga e arte-educadora Denise de Souza Roberto, 37 anos. Ela e a filha, Maria Lúcia Souza, 16 anos, são alunas de canto coral e piano. “Minha história com o CLA é bem antiga. Eu conheci a escola há muitos anos no projeto Flor de Pequi. Eu sempre gostei muito de música e comecei fazendo aula de flauta. Depois comecei a fazer canto e coral e nessa época eu tinha 18 anos. Aí o tempo foi passando, eu casei e parei de fazer aulas, mas sempre tive vontade e amor pela música. Mudei de Goiânia para Crixás e lá fiz curso de saxofone, me tornei instrutora e fiquei dois anos trabalhando assim”, lembra. 

Ela afirma que o CLA foi um divisor de águas na sua vida e no amor pela música.  “Ano passado eu mudei para Trindade e sempre pensando que não poderia parar com a música. E a primeira coisa que eu lembrei foi do CLA. Quando eu entrei em contato me falaram que tudo estava online e acabou que deu mais certo do que eu esperava, fiz inscrição para mim e minha filha e nós duas estamos fazendo aulas juntas. Quando me ligaram e eu soube que tinha aula de piano fiquei apaixonada porque desde criança eu sonhava em tocar piano. E fiquei ainda mais feliz porque depois de 18 anos reencontrei a professora Zezé, que já tinha sido minha professora antes. Para mim foi uma alegria maravilhosa com esse reencontro. Acho que teve a mão de Deus em tudo pra eu voltar para o CLA. Me sinto muito bem acolhida, o ambiente lá é muito gostoso, os profissionais são muito bons. Aula online não é fácil, mas a gente percebe que as professoras se dedicam muito”, conta Denise.  

Carine cursa desenho o violão no Centro Livre de Artes

Outra história marcada pelo CLA é da aluna Carine Duarte Pereira Mori, 34 anos, servidora pública. Atualmente ela estuda desenho e violão. “Fui aluna do CLA quando criança e, em 2019, resolvi voltar. No entanto, em 2020 fomos surpreendidos com a pandemia. Foi um período de muitas adaptações tanto profissionais, quanto pessoais. As aulas online foram fundamentais nesse período, uma rede de apoio que não mediu esforços para trazer a arte para dentro de nossas casas. Senti que, com as aulas virtuais, a adaptação ao isolamento social foi muito mais tranquila, são momentos de interação e desenvolvimento de atividades, um alívio ao estresse gerado pelo atual momento que passamos”, afirma a aluna.

Quem fica feliz com todos esses relatos é a professora de piano Zezé Capuzzo. “São alunas muito especiais, assim como todos e todas são. Vivemos um momento muito delicado e a Secult, por meio da dedicação do secretário Kleber Adorno, tem feito um trabalho brilhante à frente da gestão. Há muitos anos trabalho no CLA e nunca ele esteve tão bem, quanto agora. Ver o crescimento, as ações, aulas, aprendizado mesmo com aulas remotas e, principalmente, o reconhecimento dos alunos é um sucesso alcançado para nós, é colher frutos”, comemora. 

Rede Municipal de Núcleos Musicais
Outra oportunidade para quem quer estudar e se dedicar à arte por meio da música são os cursos oferecidos pela Rede Municipal de Núcleos Musicais, da Orquestra Sinfônica de Goiânia. As inscrições estão abertas no link https://www.e-inscricao.com/rededenucleosmusicaisdegoiania até dia 28 de março para cursos de violão, sax, flauta, trompete, trompa, canto e coral.

Mais informações: @redenecleosmusicaisgyn e goiania.go.gov/secult

Lívia Máximo, editoria de Cultura

Centro Livre de Artes

prefeitura de goiânia

Secult Goiânia