Direitos do Consumidor

Materiais de construção têm diferença de preço de até 139,47% em Goiânia

Procon verificou os preços de areias, cimentos, tijolos, argamassas, britas, tubos de cano, colas, caixas d´água, massas corrida, ferros e telhas

Publicado em: 29 de abril de 2021 às 16:54 | última atualização: 29 de abril de 2021 às 16:54

Tamanho da fonte:
-A A A+

Pesquisa realizada pelo Procon Goiânia em lojas de materiais para construção identificou diferença de preço de até 139,47%. O levantamento foi feito entre os dias 19 a 26 de abril em estabelecimentos comerciais localizados nos bairros Santa Genoveva, Jardim Novo Mundo, Vila Nova, Leste Vila Nova, Rodoviário, Jardim Curitiba, Jardim Santo Antônio e Ipiranga.

A pesquisa analisou o menor e o maior valor encontrado de areias, cimentos, tijolos, argamassas, britas, tubos de cano, colas, caixas d´águas, massas corrida, ferros e telhas. Entres os itens pesquisados, a unidade de tijolo cerâmico avermelhado foi que apresentou a maior variação, de 139,47% . Em seguida, a cola de cano de 175 gramas, com variação de 95,78%; a barra de ferro de 5/16, com diferença de preço de até 85,38%; e o saco de massa corrida de 20kg, com 77,27% de diferença

Menores variações
Os materiais de construção que apresentam as menores variações de preço foram o saco de cimento de 50kg, com variação de 20%, caixa d'água de 1000 litros, que chegou a 30,28%, o metro da telha fibra de cimento 2,44 ×50, com diferença de 31,75%, o saco de argamassa de 20kg, variação de 38,67% e por último, o metro da telha fibra de cimento 2,44 × 1,10, com 42,08%.

Orientações
O Procon Goiânia orienta o consumidor sobre a importância de planejar com antecedência reformas e construções. "Em comparação com outras cidades, o preço dos materiais de construção em Goiânia está com valores razoáveis. Portanto, é importante o consumidor gastar com cautela e sempre planejar financeiramente reforma ou construção", reforça o presidente do Procon Goiânia, Gustavo Cruvinel.

Confira aqui a pesquisa completa

Anderson Marcelo, editora de Defesa do Consumidor