Coronavírus

Goiânia tem 500 leitos exclusivos para tratamento da Covid-19

Capital tem o maior número de leitos desde o início da pandemia, mas alerta quanto ao limite físico das unidades

Publicado em: 16 de março de 2021 às 10:20 | última atualização: 19 de março de 2021 às 14:52

Tamanho da fonte:
-A A A+

Diante do aumento dos casos de Covid-19 na capital, a Prefeitura de Goiânia, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), amplia o atendimento em leitos exclusivos para tratamento da doença. Agora, a capital tem mapa composto por 500 leitos abertos nas duas categorias em Unidades de Tratamento Intensivo (UTI) e enfermaria, o maior número desde o início da pandemia.

A criação mais recente ocorreu na tarde desta segunda-feira (15/3), quando a Prefeitura abriu 20 leitos, sendo dez em UTI e dez em enfermaria, na Santa Casa de Misericórdia, uma das oito unidades que regulam para o município. Agora, o hospital conta com 50 leitos regulados para o município e destinados ao tratamento da Covid-19.

No Hospital das Clínicas, unidade que recentemente assinou convênio para 100 novos leitos, são disponibilizados 44 leitos em UTI e 23 em enfermarias, ampliando o atendimento para 67 vagas no total. As demais serão liberadas conforme demanda. 

O mapa de leitos apresenta agora 500 leitos nas duas categorias, sendo 274 somente em UTI, o maior número registrado desde março de 2020. Isso significa que, somente neste ano, foram criadas 178 vagas para pacientes com o novo Coronavírus. “Iniciamos a gestão com 169 leitos em enfermaria e 153 em UTI, considerando aqueles destinados ao tratamento da Covid-19. Criamos a média de 2,5 novas vagas por dia”, calcula o secretário municipal de Saúde, Durval Pedroso.

Mesmo diante do aumento de 55% em vagas, o titular da pasta alerta quanto aos limites dessa expansão. “O aumento dos casos segue em ritmo exponencial e nós temos limites para abertura de leitos, inclusive físicos. Até porque as pessoas ficam cada vez mais tempo em leitos de UTI e a estatística de falecimento desses pacientes é de aproximadamente 50%”, salienta Durval. Sérgio Nório Nakamura, médico da Secretaria Municipal de Saúde, corrobora com o alerta do titular da Pasta. 

Segundo ele, temos mais leitos do que o disponibilizado no pico do ano passado. Em contrapartida, também há mais pacientes internados. “No período considerado como pico da pandemia, em 2020, tínhamos menos leitos e também menor ocupação, cerca de 70%. Hoje, apesar de disponibilizarmos maior atendimento hospitalar, registramos 115 a mais de internação. Para se ter uma ideia, estamos há quase dez dias beirando os 100% de ocupação”, frisa Nakamura. 

De acordo com o boletim epidemiológico desta segunda-feira (15/3), Goiânia tem 121.897 casos confirmados do novo Coronavírus, sendo 362 registrados em 24 horas. Desde o início da pandemia, são 3.004 vidas perdidas para a Covid-19. “Por isso, é imprescindível que a população se conscientize quanto à gravidade da situação, pois são vidas que estamos perdendo para a doença”, adverte.   

Luciana Gomides, editoria de Saúde