Coronavírus

Goiânia passa de 607 mil doses aplicadas contra a Covid-19

Capital se mantém acima da média nacional em termos de cobertura vacinal

Publicado em: 31 de maio de 2021 às 18:41 | última atualização: 31 de maio de 2021 às 18:45

Tamanho da fonte:
-A A A+
Ouça a notícia aqui

Goiânia já aplicou  607.594 mil doses de vacina contra a Covid-19. Somente neste sábado foram aplicadas 12.207 doses, em 31 postos destinados ao atendimento das pessoas com comorbidades e trabalhadores da Educação Infantil. Com isso, a capital se mantém acima da média nacional em termos de cobertura vacinal. 

Tomaram a primeira dose 396.924 pessoas (26,1% da população geral) e 210.698 (13.9% da população) já receberam as duas doses. No Brasil, 21,36% da população recebeu a primeira dose, enquanto 10,42% dos brasileiros receberam o reforço. Importante destacar que a vacinação em Goiânia respeita os grupos preconizados pelo Ministério da Saúde. 

Até agora foram atendidos idosos em três grupos, trabalhadores da saúde, profissionais de segurança e salvamento, pessoas com comorbidades, trabalhadores da Educação Infantil e população privada de liberdade. 

Segundo balanço divulgado na manhã desta segunda-feira (31/5), 201.715 idosos tomaram a primeira dose. Desse total, 151.726, ou seja, 75% já receberam a segunda dose. Já entre os trabalhadores da saúde, 89.801 receberam a primeira dose, enquanto 57.635 (64%) receberam o reforço.

Dos demais grupos, receberam a primeira dose 7.465 profissionais de segurança e salvamento, 11.258 trabalhadores da Educação, 86.103 pessoas com comorbidades e 16 pessoas da população privada de liberdade. Quanto à segunda dose, 1.297 profissionais de segurança e salvamento estão imunizados.

Além do recorde de mais de 22.393 pessoas vacinadas em um único dia, a Prefeitura de Goiânia promoveu o Dia D da Vacinação contra a Covid-19, no qual doses foram aplicadas em 43 postos distribuídos em toda a capital. No último sábado, foram 12.207 doses aplicadas.

A partir da chegada de novas remessas, 30% das doses serão destinadas aos grupos prioritários e 70% para a população em geral, a partir de 59 anos, por agendamento.

Luciana Gomides, editoria de Saúde