Coronavírus

Goiânia já vacinou mais de 60% dos idosos contra a Covid-19

Campanha aplica nesta terça-feira (27/4) segunda dose em idosos a partir de 66 anos e primeira dose em pessoas a partir de 61 anos

Publicado em: 27 de abril de 2021 às 15:46 | última atualização: 27 de abril de 2021 às 15:46

Tamanho da fonte:
-A A A+

Goiânia inicia a semana com 397.929 doses da vacina contra a Covid-19 aplicadas, entre primeira etapa e reforço. Segundo balanço da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), 63,4% dos idosos goianienses estão imunizados, isto é, receberam as duas doses contra a doença. O índice coloca a capital com cobertura vacinal acima da média nacional.

A campanha de vacinação contra a Covid-19 em Goiânia teve início em janeiro, seguindo o estabelecido pelo Ministério da Saúde através do Plano Nacional de Imunização (PNI). Desde então, já foram atendidos idosos em três grupos distintos (acamados, institucionalizados e por faixa etária), além de trabalhadores da saúde, segurança e salvamento, tanto para primeira quanto para segunda dose.No total, 171.255 idosos já receberam a primeira dose e 106.317 receberam o reforço contra a doença.

O prefeito Rogério Cruz comemora os números na capital. “Isso mostra o empenho dos nossos profissionais de Saúde, que forma transparente e responsável dão seu máximo para garantir proteção às pessoas”, afirma. Rogério Cruz destaca os recordes batidos pelas equipes de imunização ao longo da campanha. “No feriado de 21 de abril, mais de 22 mil pessoas foram vacinadas em Goiânia. No mês de março, em apenas um dia, foram 19 mil vacinas aplicadas".

A campanha de vacinação segue nesta terça-feira (27/4) até às 17h. A Prefeitura atende idosos a partir de 61 anos que tenham iniciais do nome com letra C para primeira dose, além do reforço da Coronavac em pessoas com idade igual ou superior a 66 anos. Trabalhadores da saúde a partir de 35 anos também recebem a primeira dose, enquanto a segunda dose da Astrazeneca continua para esses profissionais. A capital também atende hoje pessoas a partir de 66 anos, conforme o aprazamento indicado no cartão de vacinação.

Luciana Gomides, editoria de Saúde