Cultura

Goiânia e os museus

Nesta terça-feira, 18, é celebrado o Dia Internacional dos Museus. Visitação virtual é opção na pandemia

Publicado em: 18 de maio de 2021 às 11:26 | última atualização: 18 de maio de 2021 às 16:42

MAG

Tamanho da fonte:
-A A A+
Ouça aqui

A Prefeitura de Goiânia, por meio da Secretaria Municipal de Cultura (Secult), administra dois museus municipais: Museu de Arte de Goiânia (MAG), localizado no Bosque dos Buritis; e o Museu Frei Confaloni, no Centro Cultural Estação Cultura, localizado na Praça do Trabalhador. Ambos abrigam grandes acervos culturais e, atualmente, devido à pandemia, estão fechados, mas com visitação e exposições online disponíveis em plataformas digitais para toda a população.

MAG

Inaugurado em 20 de outubro de 1970, o MAG foi criado pela lei n º 4188, de 28 de agosto de 1969 e é o primeiro museu público municipal de artes plásticas da região Centro-Oeste. Constitui-se uma instituição pública de caráter permanente, com objetivo de reunir e abrigar adequadamente as obras de seu acervo, além de estimular e divulgar a produção artística por meio de setores de Intercâmbio e Exposições, Conservação e Restauração, Reserva Técnica e na área de ação educativa, com oficinas de artes plásticas e biblioteca especializada. Quando está aberto, o museu recebe cerca de 20 mil visitantes por ano.

Atualmente, o MAG sedia a exposição online de Suyan de Matos: “A Mulher Forte Arrancou a Dor e a Aprisionou Numa Caixa”; a exposição “Sala Compacta do MAG”; e “Caminhos e Veredas”, de Elder Rocha Lima, além de exposições físicas e virtuais do acervo do MAG de Atílio Correia Lima,  Paulo Humberto Almeida e Paulo Fogaça, que pode ser vistas em  (@museudeartedegoiania e https://issuu.com/museudeartegoiania

Museu Municipal Frei Confaloni

O decreto de criação do museu tem a data de 9 de outubro de 2019. Dividido entre a Galeria Luiz Curado, com exposições temporárias, e uma galeria permanente com obras de Confaloni, o museu mais jovem de Goiânia retrata diversas épocas, que ilustram a trajetória do artista pelo modernismo e como o movimento foi inserido nas artes visuais de Goiás. Os trabalhos passeiam pela paisagem goiana, rica em detalhes, cores e formatos. O Cerrado, a paisagem das cidades históricas, como Pirenópolis, e a flora da região, como os buritis, são alguns dos elementos figurativos das obras expostas.

Desde que foi inaugurado e até o início da pandemia, o museu recebeu a visitação de mais de mil visitantes. Virtualmente, pode ser visitado pela plataforma Issuu e pelas redes sociais (@museufreiconfaloni)

Museus na Pandemia

Diante do cenário e das circunstâncias de pandemia em que o mundo vive, a Prefeitura precisou reorganizar os eventos do calendário cultural, bem como suspender as visitações aos dois museus. De acordo com o secretário municipal de Cultura, Zander Fábio, a reabertura dos museus está sendo analisada pela gestão. “Estou em conversa com o prefeito Rogério Cruz para que vejamos a possibilidade de abri-los para visitação seguindo todas as normas e orientações sanitárias quanto à pandemia”, afirma Zander.

Também integra o plano de gestão da Secult, a criação de uma plataforma digital no site da Prefeitura com tour virtual aos dois museus. “O Museu Frei Confaloni já pode ser visitado também pelas DigitalLab lançado no último sábado com a parceria da UFG com a Secult. E, nós, vamos disponibilizar em breve também nas plataformas oficiais da prefeitura, o mesmo tipo de serviço para os dois, com fotos de vídeos de todo o nosso acervo”, completa o secretário.

Lívia Máximo, editoria de Cultura