Coronavírus

Fechamento do comércio não essencial por 7 dias objetiva evitar colapso na Saúde

Medidas divulgadas neste sábado (27/2) pela Prefeitura de Goiânia entram em vigor a partir de segunda-feira (1/3)

Publicado em: 27 de fevereiro de 2021 às 20:18 | última atualização: 27 de fevereiro de 2021 às 20:20

O prefeito de Goiânia, Rogério Cruz, juntamente com prefeitos da Região Metropolitana e o governador Ronaldo Caiado, apresentaram neste sábado (27/2) medidas mais restritivas de combate à Covid-19 que serão adotadas na Grande Goiânia nos próximos dias. Durante o anúncio, os gestores reafirmaram a necessidade das novas determinações neste momento considerado o pior desde o início da pandemia.

O prefeito Rogério Cruz ressaltou que todas as restrições feitas nos municípios que fazem parte da Região Metropolitana de Goiânia são para que seja possível cuidar das vidas dos goianos. “As medidas que estamos apresentando em nosso decreto, cada um no seu município, são para que esse cuidado possa chegar aos lares, tendo a atenção de todos os cidadãos do nosso estado de Goiás e dos nossos municípios”, disse o chefe do executivo goianiense.  

De acordo com os novos decretos, publicados pelo prefeito Rogério Cruz (Goiânia) e Gustavo Mendanha (Aparecida de Goiânia), todo comércio não essencial será fechado, assim como bares, restaurantes, teatros e cinemas. Está autorizado o serviço de delivery para alimentação. Os documentos entram em vigor a partir da próxima segunda-feira, 1º de março, com validade de sete dias.  

“Serão 7 dias em que teremos condições de analisar se mantemos essas restrições ou não. Então, por isso, contamos com o apoio de todos os goianienses e todo cidadão do nosso estado de Goiás”, frisou Rogério Cruz.

Na oportunidade, o prefeito de Goiânia agradeceu a todos do setor produtivo que se reuniram com o poder público, aceitaram e concordaram com as decisões dos prefeitos das cidades da Região Metropolitana, e ao governador Ronaldo Caiado. Rogério Cruz pontuou ainda que não adianta apenas aumentar leitos. "É bom lembrar que a cada dez pessoas que chegam a um leito de UTI cinco estão perdendo a sua vida", destacou. "Portanto, contamos com o apoio de toda população goianiense, de todos que residem no estado de Goiás, para que possamos fortalecer o nosso pedido, fortalecer o nosso decreto”.

Ana Paula Almeida, da Diretoria de Jornalismo

Foto: Jackson Rodrigues