Educação

Educação participa de conferência com Unicef sobre enfrentamento à pandemia

Conferência divulgou dados de pesquisa acerca da prestação dos serviços de saneamento básico no Brasil e sua relação com o combate à pandemia

Publicado em: 05 de agosto de 2020 às 15:39 | última atualização: 05 de agosto de 2020 às 17:23

\g006_dvev3786GERÊNCIA DE COMUNICAÇÃO E EVENTOS - ATALHO 22019FotosInauguraçõesEMT Sebastião ArantesAlineMarca d'água

Tamanho da fonte:
-A A A+

O secretário de Educação e Esporte, Marcelo Costa, participou, na manhã desta quarta-feira (5/8) de webconferência sobre relação entre saneamento básico e espaços públicos no contexto da pandemia. Organizada pela Unicef, a conferência tratou da apresentação de dados na nota técnica O Papel Fundamental do Saneamento e da Promoção da Higiene na Resposta à Covid-19 no Brasil. Representantes do Banco Mundial, Sabesp, Ministério de Desenvolvimento Regional e sociedade civil também fizeram parte das discussões.

A nota técnica foi elaborada pelo Banco Mundial, Unicef e Instituto Internacional de Águas de Estocolmo (Siwi). O documento destaca a relação direta entre a prestação eficiente dos serviços de saneamento básico, fornecimento de água potável e enfrentamento à contaminação pelo novo Coronavírus. Neste contexto, pontua a importância de haver estrutura básica nos espaços escolares, inclusive no que toca à disposição de lavatórios para higienização adequada. Ainda, reforça a necessidade da equidade no acesso ao abastecimento de água potável nas escolas.

Representando todos os secretários municipais de Educação do país, Marcelo Costa elogiou a iniciativa dos dois órgãos, especialmente na garantia de um retorno seguro às atividades escolares presenciais, mesmo que não haja pressa para tal. O dirigente municipal, que também é presidente da Undime Goiás, reforçou ainda não ser possível pensar em retorno, considerando o grau de risco elevado em trazer os alunos para a escola. Ainda assim, destacou as ações empreendidas em todo o Estado no planejamento da retomada às aulas. Neste viés, enfatizou ser fundamental a integração entre Educação, Saúde, Assistência Social e Infraestrutura.

Segundo ele, “não é possível pensar em um ambiente seguro para crianças, servidores e famílias sem o diálogo entre essas áreas”. Marcelo explicou que a construção de planos de ação inserida na consonância entre secretarias torna as instituições de ensino seguras, entre outros itens, por meio do fornecimento de saneamento básico e água potável. “E, que isso não se limite ao momento de pandemia, mas consolide o processo educacional como ambiente de referência tanto para a Educação quanto para o exercício pleno da cidadania”, frisou.


Repasses e planejamento

Nesta semana, a Prefeitura de Goiânia, por meio da Secretaria Municipal de Educação e Esporte (SME), iniciou o repasse de verbas para aquisição de material de apoio e higienização às escolas municipais da rede. O recurso é oriundo do Programa de Autonomia Financeira da Instituição Educacional (Pafie) e pode ser aplicado na manutenção e investimento, tanto em escolas quanto centros municipais de Educação Infantil (Cmei). As unidades educacionais municipais também se preparam para receber os recursos do Programa Escola Viva, destinado à manutenção e reparos prediais, mantendo a qualidade da rede física de cada local.

Quanto ao planejamento para o segundo semestre, a SME lança, nos próximos dias, aulas em ambiente virtual de aprendizagem. Cada instituição terá suas turmas inseridas nos respectivos ambientes, garantindo interação entre professor e aluno. “Não entendemos Educação sem o protagonismo do educador e aluno, além da relação que se estabelece na escola. Mas, neste momento, precisamos contar com o uso das tecnologias que, inclusive, devem ser incorporadas à sala de aula quando voltarmos. Assim, teremos escolas modernas e cidadãos cada vez mais autônomos e preparados”, destaca Marcelo Costa. 

Luciana Gomides, editoria de Educação e Esporte 
Fotos: Aline Cavalcanti e Eulices Maria