A Prefeitura de Goiânia, em parceria com a Universidade Federal de Goiás (UFG) e outras instituições, trabalha no inquérito epidemiológico da covid-19 no município. O objetivo do estudo, segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), é mapear a incidência do vírus e projetar o número de cidadãos que tiveram contato com o novo coronavírus.

Para compor o inquérito, no último fim de semana o município realizou a testagem de mais de 4 mil moradores de Goiânia. Os exames também foram realizados em profissionais que atuam na urgência e emergência das unidades de saúde da SMS. O próximo passo agora é testar os profissionais da atenção básica.

Em live nesta terça-feira (12/5), o professor João Bosco Siqueira, do Instituto de Patologia Tropical e Saúde Pública (IPTSP/UFG), destacou a importância dessa ação. “Com essa medida surpreendente, que contou incialmente com o apoio de agentes de endemias e de tantos outros profissionais, será possível planejar ações de gestão e compreender melhor o comportamento do vírus em Goiânia”, afirmou.

Durante a videoconferência, os gestores da SMS informaram que, atualmente, 60% dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) geridos pelo município estão ocupados. Em seguida, foi apresentado o boletim epidemiológico com o número de casos de covid-19 em Goiânia.

De acordo com o documento divulgado nesta terça-feira (12), Goiânia tem 757 casos confirmados da doença. O relatório aponta ainda 25 óbitos causados pelo novo agente do coronavírus na capital. A maioria dos casos está concentrada em adultos jovens com idades entre 20 e 39 anos (41%) e 40 e 49 anos (36%).

Os sintomas mais comuns informados pelos pacientes investigados são tosse (63%), febre (54%), desconforto respiratório (38%), dispneia (35%) e dor de garganta (33%). A edição número 40 do Informe Epidemiológico – Covid 19 pode ser acessada no portal da Prefeitura de Goiânia.

Thiago Araújo, da Diretoria de Jornalismo
Foto: Kamila Oliveira

coronavirus

covid-19

inquerito epidemiologico

saúdegyn