Meio Ambiente

Área de preservação permanente invadida é retomada pela Amma

Invasores derrubaram árvores e no local plantaram mandioca e banana e criavam gado. Fiscais do órgão identificaram duas pessoas responsáveis pela ocupação

Publicado em: 05 de agosto de 2020 às 18:12 | última atualização: 05 de agosto de 2020 às 18:24

Tamanho da fonte:
-A A A+

A participação das pessoas na denúncia de crimes ambientais, por meio do telefone 161, tem sido muito produtiva para Agência Municipal de Meio Ambiente (Amma), que assim, por meio de sua Gerência de Fiscalização, tem efetuado inúmeras ações de combate a diversos tipos de crimes, como invasão de área de preservação permanente, descarte irregular de entulho e lixo em áreas proibidas, maus-tratos a animais, poluição sonora, entre outros. Nesta terça-feira (5/8), por exemplo, mais uma área de preservação permanente do Setor Dom Rafael invadida foi desocupada.

Além da Gerência de Fiscalização, a Diretoria de Áreas Verdes e Unidades de Conservação da Amma também participou da retirada dos invasores. A Guarda Civil Metropolitana fez parte da ação, visando à proteção física dos agentes municipais no cumprimento da desocupação. Muitas árvores foram derrubadas para o plantio de mandioca e banana. Até criação de gado foi constatadol na área.

Os fiscais da Amma, em serviço de monitoramento da área após recebimento da denúncia, constataram que a invasão é realizada por duas pessoas, que foram autuadas e notificadas para realizassem a retirada de alguns objetos do local. As cercas foram derrubadas, o mesmo foi feito com barracas de lona. A Gerência de Arborização constatou que a área em que o gado era criado estava muito compactado pelo trânsito constante dos animais. Essa compactação gera compressão de poros, pelos quais são transportados água e oxigênio à vegetação. Um trabalho de descompactação será realizado na área e, na chegada das chuvas, será realizado o plantio de árvores nativas do cerrado no local.

Sinésio Dioliveira, da editoria de Meio Ambiente