A Prefeitura de Goiânia, por meio da Diretoria de Fiscalização da Agência Municipal do Meio Ambiente (Amma), autuou, por crime ambiental, nesta sexta-feira (20/01), uma empresa do ramo de pneus, responsável pelo derramamento de óleo queimado no Residencial Itamaracá, nas proximidades da Avenida Perimetral Norte.

A multa aplicada é no valor de R$ 200 mil, e corresponde aos danos ambientais provocados pela empresa, conforme prevê o artigo 62 inciso V do decreto federal nº 6.514/08, que determina punição para quem lançar no meio ambiente resíduos sólidos, líquidos, gasosos ou detritos, óleos ou substâncias oleosas em desacordo com as exigências estabelecidas em leis ou atos normativos.

Rua do Residencial Itamaracá atingida por óleo despejado por uma empresa do bairro

Na quinta-feira (19/01), quando o crime ambiental aconteceu, a Amma já havia aplicado outra multa no valor de R$ 20 mil, por desconformidade do licenciamento ambiental da empresa, conforme o artigo 66 do mesmo decreto, qual seja, “construir, reformar, ampliar, instalar ou fazer funcionar estabelecimentos, atividades, obras ou serviços utilizadores de recursos ambientais, considerados efetiva ou potencialmente poluidores, sem licença ou autorização dos órgãos ambientais competentes, em desacordo com a licença obtida ou contrariando as normas legais e regulamentos pertinentes”. A multa prevista é de R$ 500 a R$ 10 milhões.

Segundo o presidente da Amma, Luan Alves, o crime ambiental cometido é um dos maiores dos últimos anos, na capital. “O impacto ambiental é imensurável, pois atinge o solo e afeta a fauna e a flora. Além disso, pode atingir mananciais da capital. Próximo ao local há uma nascente, e os esforços são para evitar que o óleo chegue a ela por meio das redes fluviais e da boca de lobo”, explica.

Rua do Residencial Itamaracá atingida por óleo despejado por um empresa situada no bairro

No local, o líquido vazou por metros, por meio de um buraco no muro da empresa, e se concentrou na via. A limpeza deve ocorrer com utilização de serragem, colocada pela Comurg. Uma empresa terceirizada faz a retirada da serragem, que tem função de absorver o óleo da pista.

De acordo com o diretor de Fiscalização da Amma, Diego Moura, que acompanha o caso, o acidente provocou o vazamento de aproximadamente 18 mil litros de óleo. “Fomos acionados pelo telefone 161. Ao chegarmos ao local, constatamos que um caminhão, ao realizar a entrega do óleo de forma amadora para a empresa que atua na recuperação de pneus, permitiu que o vazamento acontecesse em grande escala”, afirma Moura.

A ação da Amma continua no local, e o caso foi encaminhado para a Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Contra o Meio Ambiente para instauração de inquérito policial. A operação para conter o óleo contou com o apoio da Defesa Civil, por meio da Guarda Civil Metropolitana (GCM), da Secretaria Municipal de Mobilidade (SMM), da Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg), além do Corpo de Bombeiros e de uma empresa terceirizada contratada pela causadora do acidente ambiental. A rua continua interditada pela SMM, nesta sexta-feira (20/01), até que os trabalhos terminem no local.

Agência Municipal do Meio Ambiente (Amma) – Prefeitura de Goiânia