O Renda Família, primeiro programa de transferência de renda da história de Goiânia, é tema de live nesta quarta-feira (24/2), no Facebook e no Instagram da prefeitura. A transmissão, que começará às 15 horas, objetiva sanar dúvidas dos cidadãos interessados no programa que vai conceder benefício mensal de R$ 300, por um período de seis meses, para famílias sem renda formal que residem em imóvel com Valor Venal de até R$ 100 mil. As inscrições para o Renda Família foram abertas pelo prefeito Rogério Cruz na última segunda-feira (22/2) e vão até 31 de março.

As dúvidas dos cidadãos serão respondidas ao vivo pelo secretário de Finanças de Goiânia, Alessandro Melo, e pelo superintendente de Inteligência e Cobrança, Mário Mendes. O diálogo com os cidadãos será mediado pelo jornalista Jordevá Rosa. “Nós ficaremos on-line o tempo que for necessário para sanar as dúvidas dos cidadãos. Queremos facilitar ao máximo a adesão ao Renda Família porque é um programa humanitário, uma iniciativa extremamente importante diante do impacto socioeconômico tão nefasto desencadeado pela pandemia do Coronavírus. Esse diálogo com os cidadãos é extremamente importante para identificarmos os principais desafios e dificuldades e para buscarmos soluções que facilitem a adesão dos cidadãos ao Renda Família”, avalia Alessandro Melo. Só os três primeiros meses de pandemia provocaram a perda de 18.403 empregos na Capital, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

Além da live que ocorre nesta quarta-feira, a Secretaria de Finanças de Goiânia está aperfeiçoando o sistema de cadastramento. A partir do feedback que está recebendo dos cidadãos por meio das mídias sociais, a linguagem do formulário está em processo de simplificação, serão disponibilizados textos explicativos dentro nos campos de cadastro e estão em produção vídeos tutoriais que podem auxiliar os cidadãos na formalização do pedido do benefício à administração municipal. “Os esforços são para simplificar ainda mais a linguagem do cadastro e para oferecer suporte às dúvidas dos cidadãos. Queremos alcançar o número máximo de pessoas que precisam desse benefício”, acrescenta A estimativa da prefeitura é alcançar cerca de 24 mil famílias.

Renda Família

O Renda Família é o segundo compromisso de campanha materializado pelo prefeito Rogério Cruz. O primeiro foi o IPTU Social, vigente desde o dia 21 de janeiro. Ambos foram temas dos programas eleitorais do ex-prefeito Maguito Vilela. Para solicitar o benefício é necessário ser maior de 18 anos; residir em imóvel próprio, alugado ou cedido com Valor Venal de até R$ 100 mil e a família não ter fonte de renda, a exemplo de carteira assinada, aposentadoria ou pensão. A exceção é o programa Bolsa Família. A participação também é restrita aos que têm apenas um imóvel, não são Microempreendedores Individuais (MEIs) e não têm Cadastro de Atividade Econômica (CAE) ativo.

O objetivo do programa é amparar famílias que estão em situação de maior vulnerabilidade temporária em decorrência da pandemia do Coronavírus (Covid-19). O benefício de R$ 300 será concedido por meio de um cartão alimentação que só poderá ser utilizado em estabelecimentos comerciais de Goiânia. “O programa tem como público-alvo famílias que não têm fonte de renda capaz de sustentar as necessidades do núcleo familiar que integra. Não haverá possibilidade de saque desse valor exatamente por esse motivo. A utilização do cartão será restrita a estabelecimentos comerciais de Goiânia para aquisição de produtos alimentícios, como arroz, feijão, macarrão, entre outros,” explica Alessandro Melo.

O valor será creditado mensalmente, a cada 30 dias, tendo como referência a data do primeiro depósito. As inscrições para o Renda Família podem ser feitas por meio do site da Prefeitura de Goiânia, o www.goiania.go.gov.br. Basta preencher o formulário, apresentar a documentação requerida, concordar com o Termo de Aceite e aguardar análise da Secretaria Municipal de Finanças (Sefin). A tramitação do processo pode ser acompanhada também pela internet, por meio do login e senha criados no ato da solicitação.

Giselle Vanessa Carvalho, da editoria de Finanças

goiânia

prefeitura de goiânia

Renda Família