Estamos migrando o conteúdo dos antigos sites da Prefeitura. Se não encontrar o que está procurando, CLIQUE AQUI e acesse o site antigo.

VOLTAR para o site antigo.

BETA i

Coronavírus

Prefeitura abre mais um canal para tirar dúvidas sobre o coronavírus.

A Central Humanizada de Orientações Sobre o COVID-19 começa a funcionar nesta quinta-feira

Publicado em: 18 de março de 2020 às 10:34 | última atualização: 18 de março de 2020 às 15:31

A Prefeitura de Goiânia, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, lança mais um serviço no combate ao novo coronavírus.  A Central de Atendimento ao Cidadão – Teleconsulta disponibilizará, a partir desta quinta-feira (19/03),  um novo sistema de atendimento ao cidadão. É a Central Humanizada de Orientações sobre o COVID-19. A plataforma atenderá a população de Goiânia e profissionais da saúde, em tempo real, por meio do telefone 3267-6123. Esta central de informações sobre o coronavírus funcionará no mesmo local que o Teleconsulta.

O novo serviço contará com 36 técnicos de enfermagem, 16 enfermeiros, 16 médicos e um coordenador divididos em dois turnos, 7h às 13h e das 13h às 19, todos os dias da semana, inclusive nos feriados. Nos demais horários, das 19h às 7h, o atendimento será eletrônico, informando e instruindo o usuário sobre os horários de funcionamento do serviço.

Os atendimentos serão realizados da seguinte forma: Atendimento de primeiro nível será com os técnicos de enfermagem. Se a dúvida for sanada, encerra o atendimento. Caso não seja, passa para o segundo nível, que será o atendimento com um enfermeiro. Se o usuário ainda apresentar dúvida, ele será encaminhado para o atendimento com o médico ,pelo telefone.

O objetivo da Secretaria Municipal de Saúde é tirar as dúvidas mais simples da população antes que as pessoas saiam de casa para ir até uma unidade de saúde. “Nós vemos hoje que muitas pessoas procuram a unidade de saúde com dúvidas que poderiam ser esclarecidas sem a necessidade do deslocamento. Dessa forma, a Central auxilia na proteção do cidadão, ele fica em casa e não se expõe tanto ao contato do vírus.”- explica Fátima Mrué.

Sirlene Mendonça, da editoria de Saúde, e Flávia Rocha, do Idtech